Post Icon

O senhor está brincando, Sr. Feynman!

Richard P. Feynman (Ralph Leighton)
 
"Era uma ideia brilhante: você não tem a responsabilidade de estar à altura do que as outars pessoas acham que você deve estar. Não tenho responsabilidade em ser como eles esperam que eu seja. O erro é deles, não falha minha."
 


Olá Pessoal, tudo bem ?

Vamos conversar um pouco sobre a biografia do físico ganhador do prêmio nobel que foi minha leitura do mês do Desafio do Skoob - Biografias.

Primeiro vamos falar um pouco sobre a estrutura da biografia o livro é escrito como uma autobiografia, inclusive não há créditos na capa a quem realmente escreveu o livro que no caso foi o biografo americano Ralph Leighton, somente em um pequeno prefácio de seis linha é que ficamos sabendo que essas memórias foram coletadas e compiladas por ele, portanto, essa biografia é mais um compilado de memórias do que uma biografia clássica que inicia na infância e vai te oferecendo informações mais completas sobre a vida do biografado.

O livro segue uma sequencia mais ou menos cronológica, porque ele é divido em partes, a primeira, por exemplo, conta alguns episódios da infância até o período que ele faz faculdade no MIT, no entanto, em meio a uma memória e outra ele puxa uma história de um período posterior ou anterior ao que ele esta relatando, imagine que você esta conversando com alguém e ele começa a contar algum episódio que remete a outra memória não necessariamente ligada ao episódio em si, é essa a estrutura do livro.

Dada a essa estrutura de livro de memórias não temos todas as informações que geralmente são encontradas em biografias, dessa maneira, não ficamos sabendo nada sobre a família do Feynman e muito pouco sobre a sua infância, exceto, o fato que ele consertava rádios e era uma criança curiosa e inventiva. O livro é mais focado em anedotas e casos relacionados a vida profissional do Feynman e pouco sabemos sobre sua vida pessoal, com exceção de eventos esporádico que são relatados.

Feynman era bastante excêntrico e tinha um humor um pouco peculiar e é muito interessante ver a forma que ele pensava, pois é sempre muito interessante ver como funciona a cabeça de um grande gênio como ele. Durante vários momentos na história ele explica conceitos físicos e especialmente matemáticos e apesar de gostar muito da explicação de ciência, confesso que nem sempre conseguia entender.

Uma coisa que me decepcionou um pouco foi a parte que fala sobre o projeto Manhattan (projeto que criou a bomba atômica), pois pouco ele relatou sobre o trabalho em si e preferiu falar sobre sua obsessão por abrir cofres e outras anedotas.

Feynman era um cara que se interessava por diferentes coisas como tocar tambor, decifrar códigos maias e até pintar e que vivia situações bastante improváveis. Mas, uma coisa que me incomodou no livro todo é que ele era bastante pedante, sempre dizendo como não entendia porque as pessoas pensava de tal forma e como a forma dele era superior de pensar e etc. Por exemplo, quando ele estava na pós-graduação decidiu se juntar a diferentes grupos e acabou por fazer uma matéria na biologia e a forma que ele falava dos alunos e da matéria me incomodaram. Mais tarde, ele acabou se juntando a um laboratório de biologia e veja o comentário que ele fez sobre um curso que ele fez:

"Houve uma técnica de laboratório útil que aprendi nesse curso, e que uso até hoje. Eles nos ensinaram como segurar um tubo de ensaio e tirar a sua tampa com uma mão (usa-se o dedo médio e o indicador), deixando a outra mão livre para fazer uma outra coisa qualquer (por exemplo, segurar uma pipeta que você esta usando para aspirar cianureto). Agora posso segurar minha escova de dentes com uma mão e, com a outra mão, o tubo de pasta, abrir a tampa e coloca-la de volta."

E esse é só um exemplo do tipo de coisa que me irritou muito no livro, alguns podem interpretar como humor, mas para mim é só soberba mesmo, no entanto, apesar disso, eu achei um livro que vale a pena, especialmente para mim que me interesso por ciência, a escrita em si é fluida, bastante coloquial e até engraçado.

Livro: O senhor está brincando, Sr. Feynman!
Autor: Richard P. Feynman (Ralph Leighton)
Editora: Campus (Elsevier)
343 páginas

Por hoje é isso,
Até a próxima,
Dani Moraes

Nós sigam também nas redes sociais: Facebook, Twitter (danipmoraes), Instagram (danimoraes02) e Snapchat (danielapmoraes).






 

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

Day Docinho disse...

gostei muito da resenha,vou colocar esse livro na minha listinha de leitura.
seguindo vc^^
http://escreverdayse.blogspot.com.br/

As verdades que o pinoquio conta disse...

Oi Day,
Que bom que vc gostou seja bem vinda ao blog.
Bjus

Postar um comentário